Movimentos Sociais, criticar é fácil!

Estava lendo uma reportagem que fala sobre o “Curta” “SintuspWars”, produzidos por alunos da Escola Politécnica da USP em meados de 2005. Não vou falar exatamente sobre o filme, mas sim sobre a reportagem que o cita.
A reportagem foi escrita por Reinaldo Azevedo, Colunista do site Veja On-Line, no dia 10 de fevereiro de 2006. O título é ‘Um exemplo de como age um sindicato dentro da USP: no momento, ele é aliado dos reitores paulistas. Bonito, hein, Magníficos!?
Segue abaixo o comentário que eu postei no blog dele, a minha crítica sobre o assunto.

“Caro Reinaldo, sou estudante da Politécnica USP, e amigo das pessoas que produziram o vídeo. Acho que posso fazer alguns comentários que são válidos e importantes.
Os métodos utilizados pelo Sintusp para divulgação de Manifestações, funciona muito bem na maior parte das unidades da USP, pelo menos isto é o que eu já ouvi de muitas pessoas, tanto de algumas unidades como dos próprios. Porém tal método não tem eficiência na Escola Politécnica. Após esse vídeo eles vieram conversar com nós, via Grêmio Politécnico, para tentarmos chegar a um método que funcione para informar os alunos da Escola Politécnica. Ou seja, eles se preocuparam em vir conversar para tentar resolver os problemas de comunicação.
Vale também o comentário que, atualmente, a maior parte dos estudantes universitários não está preocupada em pensar no país e na situação que estamos vivendo, com corrupção às claras, violência descontrolada, e outros problemas. A maior parte dos estudantes universitários quer apenas estudar para tirar seu diplominha para e ir ganhar seu dinheirinho.
Hoje em dia não existe mais um pensamento coletivo de discutir o país e tentar mudar e melhorar as coisas, apenas existe o pensamento de reclamar – e ficar sentado esperando que alguém faça algo. Os pais dizem aos filhos que Movimento Estudantil(ME) é besteira, perca de tempo, os professores e a própria Universidade não dão o espaço que deveriam à movimentação estudantil. E isso cada vez mais é característica de nossa sociedade, essa apatia generalizada está a cada dia mais forte, e acho que criticar as pessoas que tentar mudar alguma coisa é algo que tem que ser bem pensado. Deve-se, sim, criticar métodos, mas deve-se também dar sugestões, debater, e, principalmente, participar ativamente da construção da Sociedade.
Hoje faço parte do Movimento Estudantil e me dedico muito a ele. Mais até do que poderia, considerando o curso que eu faço, Aprendi muito já, mais até do que todos os meus colegas que ficam apenas estudando – Veja bem, eu falei APENAS estudando -, e não me arrependo de ter tido alguns “prejuízos” no meu curso. Pois sei que estou fazendo a minha parte por um mundo que eu acho melhor.
A imagem das pessoas que participam de movimento estudantil, que mostra um bando de “drogados” que não querem nada da vida é passado, hoje a maior parte das pessoas que convivem comigo no ME são pessoas que estudam bastante, muitos trabalham, e ainda dão um jeito de participar do ME. O Cursinho da Poli-USP (http://gremio.poli.usp.br/cms/index.php?option=com_content&task=blogcategory&id=21&Itemid=29) é um belo exemplo disso. Vale conhecer.

Bem, acho que o que tenho a falar é isso. Espero que possa ter mostrado uma realidade que nem sempre é evidente, e que possa fazer alguma diferença.

Atenciosamente,

Diego Rabatone Oliveira
Diretor do Grêmio Politécnico da USP”

Tags , ,

Deixe uma resposta