Vocare

*Banda Let It Be – Via Funchal – São Paulo – SP – 27/06/2004 – Abrimos o show do Capital Inicial, tocando Twist And Shout

If there´s anything that you want
If there´s anything I can do

Just call on me and I’ll send it along
With love from me to you

I got everything that you want
Like a heart that’s oh, so true

Just call on me and I’ll send it along
With love from me to you

I got arms that long to hold you
And keep you by my side
I got lips that long to kiss you
And keep you satisfied

If there´s anything that you want…

From me To You
The Beatles

Estive pensando no que ando sentindo, no que ando vivendo.
Este ano foi um ano muito atípico em minha vida, mudei muito, cresci muito! Está até um pouco difícil de assimilar tantas mudanças.
Como poderia eu, um cara tímido, retraído e fechado, se tornar, de uma hora pra outra, uma figura pública, que está “na boca do povo”, conhecida por quase todos. Seria inadmissível imaginar-me liderando alguém, guiando algum coletivo, e confrontando outros [um pouco mais ásperos].
Afinal de contas, o meu defeito é ser “certinho” em demasia (será que alguém discorda?), e essa nossa sociedade espera, das pessoas “certinhas”, uma atitude conformista e retraída. Aqueles que se opõe ao modelo atual costumam ser chamados de “bárbaros”, “desordeiros”, para não pegar pesado.
Enfrentei muitos conflitos internos, superei tabus, destruí certos dogmas, me defrontei com o mundo. E não tenho do que reclamar, estou muito contente com quem eu sou hoje, apesar de duvidar de mim mesmo várias vezes. Inclusive hoje ouvi que eu deveria fazer um “upgrade” de mim para mim mesmo. Preciso me aceitar mais, preciso acreditar mais em mim mesmo. Tenho superado inúmeras barreiras que nunca imaginei superar, e disso eu não posso dúvidas, são fatos! Ainda mais quando eu ouço tais coisas de uma pessoa que respeito MUITO, e que sinto uma vocação pro ela, uma pessoa batalhadora, que sabe aproveitar os pequenos detalhes da vida, e que vai em busca de seus objetivos (seja lá quais foram eles! rs).
Fico por aqui, com a
quele sentimento gostoso de quem está com cara de bobo. Com cara de quem nem consegue esconder o que sente. Está ai, exposto na cara.

One thought on “Vocare

  1. Haydée Svab disse:

    “upgrade”? Que termo nerd! [huahuahuahua]
    Não resisti a comentar:
    a gente cresce, e nem sempre é fácil, nem sempre facearmos nossos tabus e dogmas é simples. Porém, o amadurecimento nos traz gratas surpresas e, por vezes, acabamos descobrindo que somos mais do achávamos que éramos, do que nos achávamos capazes. Pelo jeito… esse é o seu caso 😉
    Bom dia!
    bjs,
    Dée

    PS> apaga o de cima, tem erros [rs]

Deixe uma resposta