Casa do Politécnico

Caderninho de Prestação de Contas da Cadopô

Depois de quase 50 anos de um projeto fabuloso (as obras iniciaram-se em 1949 até aonde eu sei), acaba-se hoje uma história de muita luta, movimentação política e cultural, um verdadeiro centro de resistência contra a desmobilização e o emburrecimento da sociedade perante uma lógica social individualista e financeira.
A Casa do Politécnico (CaDoPÔ) foi um espaço de enorme movimentação, durante a maior parte de sua história. Lá foi criado o “Grupo de Teatro da Poli (GTP)” (que existe até hoje, e conta com mais de 80 membros – coisa rara entre grupos de teatro atualmente), foi criado o Jornal “O Politécnico” (que só sobreviveu à Ditadura Militar – conhecido como “Jornal Vermelho” – pois tinha aquele espaço para produção). Tivemos lá também o Departamento de Fotografia do Grêmio Politécnico, um jornal literário e até mesmo um Grupo de Cinema (“Grupo Kuatro de Cinema“).
Mais recentemente foi palco de muitas atividades teatrais e tinha um grande potencial para se tornar um efetivo centro cultural – sendo que a proposta era de apresentações populares!
Com a criação da linha amarela do Metrô as possibilidade de revitalização integral da Casa seriam muito maiores, o GTP poderia voltar a utilizar aquele espaço, os politécnicos poderiam frequêntá-lo com maior periodicidade, poderíamos realizar muitos eventos, palestras, debates, exposições, mostras (como já vinha acontecendo – vide links abaixo), dentre muitas outras coisas.
Infelizmente muitas pessoas passaram pela história da Cadopô sem dar a ela a devida importância, assumindo responsabilidades e não as cumprindo, e isso – no meu entender – foi um dos principais motivos pelos quais os projetos não foram pra frente tão rápido e a história acabou por culminar numa infeliz desapropriação para se tornar um grande depósito.
Parece, inclusive, que a prefeitura entrou de vez no jogo da expeculação imobiliária. Ela possui dezenas de prédios no centro de São Paulo que não são utilizados – e que poderiam abrigar o arquivo ou mesmo se tornarem moradia popular; além disso, existe o projeto “Nova Luz“, de revitalização (limpeza social) da região da Luz – ao lado da Cadopô. O Projeto Nova Luz prevê uma “revitalização” da região, trazendo empresas (e expulsando pessoas pobres). Isso fará com que o valor dos imóveis e terrenos subam de valor, ou seja, com as desapropriações que a prefeitura está fazendo hoje, daqui a alguns anos ela terá valorizado seus investimentos.
Aliás, se o projeto é desenvolver o centro de São Paulo, porque não deixar se instalar um Centro Cultural na Cadopô ao invés de fazer um arquivo? Faz algum sentido?
Vivenciei aquele espaço por cerca de 1 ano e meio, e hoje é para mim, enquanto politécnico, o dia mais triste da minha vida, e enquanto cidadão, um dia absolutamente triste.
Vou guardar muitas boas recordações da Cadopô, mas sempre terei em meu coração a tristeza de saber do potencial público daquele espaço que foi enterrado.
Tenho certeza de que o Arquivo Histórico Municipal é importantíssimo, mas acho que essa não é uma troca justa, tendo tantos prédios PÚBLICOS (que não precisam nem de desapropriação ($)) parados por aí.
Fica aqui uma pequena e singela homenagem a uma história de quase 50 anos.

Em Construção 1…

No Bar da Cadopô…

Em Construção 2…

De quem será o quarto?…
Galerinha do Bem…
A mais alta e resistente…

…curtindo os últimos momentos…

com um sentimento gélido de cortar a alma…


Wiki da Casa do Politécnico – Coletânia de histórias da época em que foi moradia estudantil feita que eu organizei.

————————————————————————————
Alguns links sobre a Cadopô – E dizem que ela está abandonada….
João Batista de Andrade – História sobre a movimentação política da Cadopô
Felco – Festival Latinoamericano de la Clase Obrera 2006
http://www.ciranda.net/ – Felco de novo
http://estudiolivre.org/ – Arte!
http://www.queenbrazil.com/ – Evento do Primeiro Fã-Clube do Queen (banda inglesa) na Cadopô!
http://www.spiner.com.br/ – Teatro!
Sexo Verbal – Teatro
Caio Fernando Abreu – Teatro
http://www.spiner.com.br/ – Teatro
http://www.midiaindependente.org – Reunião sobre a UNCTAD (Conferência das Nações Unidas para Comércio e Desenvolvimento)
http://de.geocities.com/crusp2004/ – História
http://receitas.br101.org/arroz-ovo-bacon.html – História
Gestão 1990 do Grêmio – História
http://www.b-coolt.com/ – Teatro! (veja no dia 12.04)
http://www.gremio.poli.usp.br/ – História da Cadopô
http://www.cadopo.eng.br/ – Comunidade de ex-moradores
http://www.grupos.com.br/ – grupo de ex-moradores
http://www.usp.br/ – Notícia
http://prefeitura.sp.gov.br/ – Notícia (Aham! Acredito em tudo que foi dito sim…. )
http://www.folha.uol.com.br/ – Notícia
http://www.fotoplus.com/ – Referência a projetos de divulgação de fotografia (incluindo acesso a laboratório fotográfico) pelo Grêmio Politécnico – Ref. 6 na Pág. 3

Crítica ao projeto Nova Luz :
http://www.projetosurbanos.com.br/
http://www.territoria.com.br/
http://www.territoriogeografico.com.br/

Tags , , ,

3 opiniões sobre “Casa do Politécnico

  1. haydee.svab disse:

    A Aurinha acabou de me postar o video “A Cadopo e nossa 2″… daqui de Pecsi, quase chorei. Acho que ainda nao caiu direito a ficha que realmente a perdemos…
    Divorcios sao evitaveis – so ocorrem quando muita negligencia e a falta de carinho vao se superpondo.
    E quase uma morte viva: impossivel nao passar na Afonso Pena e o peito apertar demais.

  2. Christian disse:

    Bacana sua iniciativa de mostrar fotos da Cadopô e algumas histórias. Saiu recentemente um livro muito bacana de crônicas e memórias sobre a Casa, intitulado Causos da Casa do Politécnico: Contados por ex-Moradores, organizado por Pedro Tambellini (Pedroca). Veja só:
    http://www.ofitexto.com.br/p/causos-da-casa-do-politecnico.html

  3. diraol disse:

    Christian, muito obrigado pela informação do livro, e fico feliz de saber que essa memória não se perdeu!

Deixe uma resposta