Quem Sou

“Quem sou?”, pergunta difícil essa…

Será que é possível colocar numa página uma descrição de quem eu sou, do que eu quero? Será que daqui a 5 minutos, quando tiver terminado de escrever esta página, ainda serei a mesma pessoa que começou a escrever?

Acho que não né? Então façamos o seguinte trato.
Eu escreverei aqui algumas coisas das quais eu (acho) que gosto Assim vocês conhecerão um pouco mais sobre este aqui escreve.
Mas tenham certeza que o conjunto todo da obra deste blog contém muito mais informações e detalhes sobre quem sou e o que penso do que esta mísera página. Assim, sintam-se à vontade para passear pelos posts e me conhecer melhor!

Mas vamos ao que interessa (ou não interessa, vai saber).

Tenho hoje vinte e poucos anos, e me considero um sonhador. Porque:

A possibilidade de realizarmos um sonho é o que torna a vida interessante.[1]

Quero mudar o mundo, fazer parte da história – porque passar em branco não dá né? Acredito que o mundo sempre pode melhorar, mas sei também que isso não é tarefa fácil. Busco sempre manter o espírito sonhador de um adolescente, mas não deixo de tentar colocar os pés no chão e buscar trilhar caminhos sólidos.

Sou apaixonado pela temática da Educação! Acredito que sempre estamos ensinando e aprendendo, somos todos Educadores e Educandos.

Ninguém educa ninguém, ninguém educa a si mesmo. Todos educam-se entre si, mediatizados pelo mundo.[1]

Acho que a educação é o melhor caminho para construirmos um mundo mais justo, mais igualitário. Um mundo menos predatório, mais coletivo e colaborativo. Um mundo no qual as pessoas não vivem para ter, mas vivem para ser, vivem para conviver.

Educação não transforma o mundo. Educação muda pessoas. Pessoas transformam o mundo.[1]

E para que se tenha um processo de Educação de verdade, é preciso ter liberdade, autonomia. Por isso outro dos meus interesses é o Software Livre. Usar software livre é ter o direito e a possibilidade de personalizar o sistema às suas necessidades, é poder conferir (ou pedir para alguém de confiança conferir) que suas informações não estão sendo desviadas indevidamente, é poder resolver um problema sem depender da boa vontade de uma corporação que só visa lucros. É ter autonomia, é ter independência!
Quanto à cultura livre, eu acho que a cultura deve pertencer ao mundo. Não estou dizendo que os artistas não devem ganhar dinheiro com arte. Mas acho que o “modelo de negócio” no qual cultura é mercadoria já se esvaiu e não serve mais à nossa sociedade.

Acredito na Política (com P maiúsculo), e acho que sistemas democráticos podem funcionar. Não é porque hoje, no Brasil, muitas pessoas que estão em cargos públicos são corruptas e se importam apenas com interesses pessoais que o sistema não funciona. Algo que eu sempre tento levar comigo em minhas análises é que: “Não é porque a ferramenta é mal utilizada que ela é ruim”. Isso vale para o sistema Político (democracia representativa, senado, câmara, etc) e também para outras coisas como Internet, Torrent (P2P), e etc.

Por isso luto por uma nova Cultura Política, na qual as pessoas são mais conscientes de seus direitos e deveres. na qual as pessoas não são cidadãs apenas na hora de votar, mas acompanham e cobram seus representantes (e esses não são apenas nos que votaram, mas todos que Lá estão), uma nova cultura na qual o Estado existe e trabalha efetivamente pelo bem das cidadãs e cidadãos. Por isso luto pela não criminalização da Internet e dos usuários (afinal, SOU INOCENTE ATÉ QUE SE PROVE O CONTRÁRIO!), pela neutralidade da rede. E para que consigamos atingir uma sociedade com um Estado justo e democrático, precisamos de um Estado Transparente. Por isso hoje meu principal interesse de atuação é com transparência.

Mas a vida não se resume apenas ao (ciber)ativismo político, então também gosto de aproveitar meu tempo vendo um bom filme (seja no cinema seja em casa), indo a exposições, conhecendo a cultura e a história da minha cidade (Paulistano de coração!) e do meu país, adoro sair para tirar fotos e, claro, ir a um bom restaurante, apreciar uma boa comida e um bom vinho.

E acima de tudo, seja aonde for, fazer todas estas coisas ao lado de pessoas agradáveis e das pessoas que me fazem feliz.

Termino com mais algumas frases que acho relevantes:

Assim como a árvore está na semente, os fins estão nos meios. Se cuidamos dos meios, o fim cuidará de si mesmo. Sempre temos controle sobre os meios, nunca sobre os fins. É impossível atingir-se fins nobres por meios condenáveis[2]

A mente que se abre a uma idéia, jamais voltará ao seu tamanho original.[3]

Mais importante de tudo é nunca deixar de se perguntar. A curiosidade tem sua própria razão de existir.[3]

O que acho mais legal dessa última é que ela exalta algo que outra pessoa pela qual tenho muito respeito também destaca como fundamental. Paulo Freire, assim como Einstein, também coloca a Curiosidade como fundamental para o processo de educação e crescimento.

[1] Citação atribuída a Paulo Freire
[2] Citação atribuída a Mahatma Gandhi
[3] Citação atribuída a Albert Einstein

4 opiniões sobre “Quem Sou

  1. Fábio disse:

    Olá, tudo bem
    Peguei seu contato na comunidade Elgg.
    Desenvolvo um projeto na UNIFESP, um programa educacional para jovens com diabetes.
    O objetivo é criar uma rede social para estes jovens, e também colocarmos alguns tutoriáis educacionais. A princípio o programa será colocado no Moodle da Universidade, mas penso na possibilidade de montar uma rede social.
    Vocês já está com experiência, ou têm alguem, para acessorar na instalação do Elgg.
    Abraço, Fábio

  2. diraol disse:

    Oi Fábio.

    eu tive alguma experiência com o Elgg, mas não foi muito extensa e nem me adaptei bem.

    Na verdade, a USP possui uma rede social (STOA), que começou usando o Elgg mas hoje está migrando para outro aplicativo de comunidade, um aplicativo brasileiro inclusive, que é o Noosfero.

    Eu acho que poderíamos marcar uma conversa para tentar juntar esforços nessa questão de redes sociais universitárias. O que acha?

    Abraços,

    Diego

  3. Humberto Cotta Júnior disse:

    Pô, parabéns!!

    Eu vejo debates acalorados, chegando a ponto de ofensas, mesmo entre ambientalistas, de ambos os lados nesta discussão da UHE Belo monte. Eu tenho 48 anos, mas eu me comovo em ver um cara tão novo com tamanha maturidade para o debate. Se você tem um talento, é na Inteligência emocional, você é superdotado em QE! É de possoas assim que precisamos. Eu também estou fanzendo um Blog, contra o desmonte de toda a legislação ambiental proposta pela bancada ruralista. A coisa é muito grave! Mas nem por isto eu deixo de respeitá-los. Visito os sites deles e descubro que o agronegócio é um movimento complexo. Tem desde o ARES, Instituto do Agronegócio Responsável, os mais avançados do ponto de vista ambiental e social, até a CNA, de cuja instituição Senadora Kátia Abreu foi reeleita presidente, o que representa a visão mais atrazada, mais socialmente irresponsável dentro do movimento do Agronegócio. Eu sou de esquerda, sou a favor da reforma agrária, mas nem por isto eu deixo de reconecer os méritos, os avnços do ARES (a ala avaçdada). Posso não concordar com tudo deles, mas reconheço que o debate que eles promovem é limpo, eles não distorcem as informações como os outros ruralistas, e pautam pela lisura, embasam bem seus argumentos, etc.

    Assim, como eu vejo a mesma atitude em você, gostaria de trocar links, informações, e inclusive na possibilidade de colaborarmos juntos. O que acha?

    Um grande abraço e Parabéns.
    Humberto Cotta Júnior
    Biólogo pela UFMG
    Mestre em Sociologia pela UNESP
    Sou do IBAMA

  4. diraol disse:

    Humberto, obrigado pelas palavras.
    Tento sempre ter a postura mais construtiva possível, claro que por vezes são necessárias críticas mais duras e contundentes, mas em se tendo argumentos, eu acho válido.

    Sobre Belo Monte, assim que terminar efetivamente o meu semestre letivo vou sentar para escrever um texto mais detalhado, com os argumentos levantados no debate que eu referenciei, e procurando novos argumentos.

    Quanto aos ruralistas, escrevi uma vez sobre isso aqui no meu blog mesmo:
    http://blog.diraol.eng.br/2010/05/10/sobre-o-agronegocio-e-os-ruralistas/

    Se quiser trocar links, estou à disposição, assim como o pessoal do Escritório Piloto (EP). Aliás, nós (EP) organizamos um debate sobre o Código Florestal esse semestre, foi muito bom! Uma pena que não conseguimos filmar. Mas, se não me engano, tem um texto lá no site sobre o tema.

    Abraços

Deixe uma resposta